Augusto Gil

 

A GUARDA QUE RECORDA AUGUSTO GIL

O roteiro Giliano permite ao visitante percorrer locais da cidade associados à presença de Augusto Gil na cidade da Guarda. A Guarda seria para Augusto Gil uma “aldeia sertaneja” edificada “neste degrau da Estrela” na sua “sagrada Beira”, que qualquer visitante poderá, igualmente, contemplar.

O Museu da Guarda torna-se em 1954 fiel depositário do espólio do Augusto Gil, tendo, recentemente, concebido um Roteiro Giliano, que pretende ser um conjunto de linhas de orientação quer em termos patrimoniais, quer em termos culturais. Por conseguinte, trata-se de um compêndio informativo que reúne uma pequena compilação de imagens, textos científicos e técnicos relevantes numa componente tangível e/ou intangível envolvendo a vida do poeta que dedicou grande parte da sua obra à cidade da Guarda que, desde sempre, exaltou nos seus poemas.

 

Roteiro