Este imponente edifício, localizado no Largo de S. Vicente, cuja construção remonta ao período de transição do século XVI para o XVII, marca a afirmação plena da linguagem arquitetónica do Renascimento na cidade. É de salientar a sua fachada principal em cantaria belamente aparelhada, onde se rasga o portal principal ladeado por pilastras caneladas, janelas sobrepostas por friso comum e uma janela de canto. A fachada termina na cornija saliente em cantaria, interrompida por gárgulas de canhão estriadas, tão típicas da arquitetura tardo-quinhentista e seiscentista de matriz erudita da Guarda.