As casas da câmara (ou casa ou paço do concelho) portuguesas eram a sede do poder local. Como acontece em muitas vilas e cidades portuguesas, peninsulares e europeias, a antiga casa da câmara da Guarda está localizada na principal praça da cidade (a atual Praça Luís de Camões), face à Sé, no centro do espaço amuralhado. A construção do edifício atual – que desempenhou as suas funções históricas até há pouco mais de uma década – é datável de cerca de 1570 ou de um período ligeiramente anterior e assinala a entrada ou a afirmação da arquitetura do Renascimento na cidade da Guarda.

Trata-se de um edifício de planta retangular e desenvolvido em dois pisos. Apresenta uma fachada principal dominada por um pórtico monumental, desenvolvido em arcadas assentes sobre monumentais pilares que ocupam toda a largura da fachada. No segundo piso salientamos três janelas de sacada a ladearem dois brasões, o brasão da Cidade e o brasão do Reino, à esquerda. A fachada é encimada por uma imponente cornija em que se inserem elegantes gárgulas de canhão e a que se sobrepõem pequenos pilaretes ou socos onde se apoiam esferas armilares e urnas decorativas, num total de sete.

No interior do edifício desenvolve-se uma escadaria monumental que dá acesso a diversos compartimentos, entre os quais se destacam o salão nobre – a belíssima sala de audiência de outrora – com teto em caixotões reconstituídos em importantes obras de restauro ocorridas na Época do Estado Novo.